O Papel e a Importância da Formação Teológica para a Igreja – Ildemar Nunes Medeiros

Por Ildemar Nunes Medeiros

 

As palavras do Senhor Jesus em Mateus 28:18-20, “Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. 19 Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; 20 ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século”, apontam claramente que a continuidade do seu ministério se dá através da multiplicação de seus discípulos, e esta ocorre por meio do ensino, educação, instrução, ensino, formação, de pessoas, numa relação de aprendizagem.

 

É nessa ordenança que identificamos o nascedouro da formação teológica cristã. Para o Senhor Jesus a educação, o ensino, é um instrumento vital e poderoso para a transformação de indivíduos que não o conheciam em seus seguidores fiéis por toda a vida. Então o que é a formação teológica? É a formação do caráter, do pensamento e de novos hábitos da pessoa em relação a Deus, ao próximo, como a si mesmo. E essa formação se dá numa relação de aprendizagem entre os discípulos de Cristo, seja o mais experimentado em relação ao neoconverso, seja entre os próprios mais experimentados, buscando através de um ensino mútuo todos serem aperfeiçoados na conservação, na guarda, dos ensinos do Mestre.

 

É a comunidade dos discípulos de Jesus, a Igreja, o lugar essencial e ideal para essa relação de aprendizagem. É nesse ambiente informal, no qual acontece uma interação cotidiana, não prevista nem controlada, que os ensinos de Jesus são pregados, expostos e colocados em prática. Aqui a ênfase recai sobre o que se faz, e a aprendizagem se dá mais pela vivência, pela conduta.

 

Entendemos, porém, que se faz necessário que os ensinos de Jesus e a sua vida também sejam transmitidos de uma maneira mais formal, programados, assim como o apóstolo Paulo fez na cidade de Éfeso utilizando as dependências da escola de Tirano durante o espaço de dois anos (At. 19:9 e 10). Entendemos assim que os institutos, escolas, seminários, e outras instituições de ensino, há muito exercem um papel relevante na formação e capacitação teológica de cristãos, principalmente no preparo daqueles que são vocacionados para a liderança.

 

É por meio dessa educação teológica formal que os fundamentos bíblicos, teológicos e históricos capacitam pessoas para o exercício de liderança na Igreja, de maneira que elas possam entender e articular todo o ensino de Jesus de maneira relevante tanto para a própria Igreja como para a sociedade onde a Igreja está inserida. O papel da educação teológica formal é o preparo e a qualificação intencional de cristãos para servirem melhor a Deus. O estudo sistemático das Escrituras, do ensino de Jesus, deve ter em vista o fato dos cristãos serem mais bem habilitados para servirem a Deus e ao próximo.

 

A importância da formação teológica para a Igreja se dá quando os objetivos são voltados para auxiliá-la no cumprimento da sua missão diante de Deus e no mundo. Aqui a relação de aprendizagem se dá entre a Igreja e as instituições de ensino teológico: os que são preparados teologicamente são membros da Igreja, e devem na Igreja e nos fins e objetivos da sua missão estar plenamente envolvidos; por outro lado, a Igreja deve se abrir para enviar, apoiar e receber os que são capacitados teologicamente incluindo-os nas suas diversas atividades, para que eles possam exercer plenamente seus dons e ministérios recebidos da parte de Deus. Enfim, compreendemos que não há uma formação teológica relevante sem uma contribuição significativa para a Igreja e da Igreja está inserida nesse processo de aprendizagem.

 

 

Postado por Tiago H. Souza

Anúncios

O Papel e a Importância da Educação Teológica Para a Igreja – André Luís

Por André Luiz

 

No que tange a importância e a aplicação da educação teológica, em especial, no contexto religioso das igrejas evangélicas que a cada dia se proliferam, é lamentável a deliberada desconsideração para com ambos os elementos (importância e aplicação), visto que, da mesma forma que não podemos desassociar o Cristo da sua “Cruz”, ou, a “Cruz” do seu Cristo, não devemos também separar a igreja da educação teológica.

A grande verdade é que o evangelicalismo neopentecostalizado hodierno tem crescido e se multiplicado com um espírito analfabeto no que toca a matéria da espiritualidade cristã já que não existe autentica espiritualidade sem a vida e o amadurecimento espiritual que são oriundos de uma educação teológica. Pois, na maioria das igrejas de ordem evangélica, o pragmatismo e o misticismo são as regras hermenêuticas para se interpretar Deus. O estudo sério da bíblia (o estudo da revelação proposicional, segura e correta de Deus), que se articula a partir de uma hermenêutica científica, tanto por parte dos lideres como por parte dos seus liderados por tabela, tem sido negligenciado, e por conseqüência o corpo religioso evangélico tem vivido uma religiosidade ignorante não se revelando assim uma comunidade religiosa relevante pelo simples fato de não poder oferecer para os espiritual e moralmente deseducados (àqueles que vivem alienados de Deus) a verdade que eles necessitam acerca de Deus.

O Apostolo Paulo, o maior “mestre” da igreja cristã, apresenta-nos o documento sagrado (a bíblia) como a fonte de toda educação teológica para a igreja, pois ele diz a Timóteo: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça, a fim de que o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente habilitado para toda boa obra” (2Tm 3.16-17). Posto isso, levando em consideração essa verdade paulina acerca da suficiência das Escrituras para a educação teológica, educação essa que habilita o homem nos aspectos mental, espiritual e funcional, precisamos com urgência gritar a carência gritante das igrejas no que toca a educação teológica, conclamando-as para uma responsabilidade de estudo bíblico-teológico que é indubitavelmente necessário para que a igreja seja um centro de fomentação de verdades espirituais, morais e sociais, respondendo e atendendo assim as demandas de um mundo que vive uma derrocada humana sem igual.

Apesar do desinteresse pela educação teológica quase que generalizado em nossas camadas evangélicas cujo interesse das mesmas consiste na busca da experiência religiosa utópica que entorpece a mente e a deixa agrilhoada ao fanatismo da religião anti-educacional no que diz respeito ao estudo da teologia, expectamos uma reforma interna eclesial de educação teológica. Almejamos um comprometimento revolucionário de Pastores-Mestres que através de um compromisso sério de estudo teológico espalhe para o povo o ensino bíblico que educa e habilita o homem para toda boa obra.

A educação teológica, a formação bíblica, a alfabetização religiosa a luz da Bíblia, precisa ser a prioridade das nossas igrejas, pois, comunicar todo o conselho de Deus para o mundo só é possível quando se sabe qual é o conselho de Deus. Saber de Deus ou sobre Deus, receber educação teológica, refletir teologicamente, é uma obrigação de todo aquele que faz parte da igreja e que precisa responder para o mundo a razão da sua fé.

 

 

Postado por Tiago H. Souza