Predestinação e Missões – Barbara Helen Burns

“Não adianta ir fazer missões; os predestinados vão ser salvos mesmo.”

 

Realmente a Bíblia deixa claro que os salvos são predestinados à salvação. Efésios 1.4-5 diz: Porque Deus nos escolheu nele antes da criação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis em sua presença.  Em amor nos predestinou para sermos adotados como filhos, por meio de Jesus Cristo, conforme o bom propósito da sua vontade (NVI). O v.11 no mesmo capítulo repete a mesma verdade, Nele fomos também escolhidos, tendo sido predestinados conforme o plano daquele que faz todas as coisas segundo o propósito da sua vontade.

Dra. Barbara Burns

 

Deus é soberano! A predestinação é um ensinamento da Bíblia apesar da dificuldade em entendê-la. De fato, grandes teólogos em toda a história da Igreja Cristã têm debatidos esta doutrina sem chegar a uma conclusão unânime. Alguns enfatizam mais o lado que Deus faz tudo e o homem não tem escolha nenhuma diante dEle. Outros se baseiam em outros textos que deixam claro que o homem também tem que buscar e obedecer a Deus, enfatizando a livre vontado do homem.

 

A Bíblia aparentemente nos apresenta os dois lados, claramente ensinados. J.I. Packer (Evangelismo e a Soberania de Deus, Ed. Vida Nova) chama este dilema de “paradoxo. ” Um paradoxo é algo que tem dois lados que parecem opostos, mas são ambos a verdade. Em nossa mente finita, não podemos entender esta verdade infinita que origina nos conselhos de Deus. Mesmo difícil para a mente, a predestinação é algo que todos nós que somos do Senhor entendendemos na experiencia pois no íntimo sabemos que não merecemos ser filhos e filhas de Deus, e que não fizemos nada para comprar a salvação. Sabemos que nem tinhamos condições de buscar a Deus até achar, pois em Romanos 3:11 diz: Não há quem entenda, não há quem busque a Deus. Depois em versículo 23, Romanos diz algo que com humildade nós sabemos: pois todos pecaram e carecem da glória de Deus.

 

Nós não recebemos a salvação por nosso mérito; somos salvos por causa da graça de Deus em enviar Jesus Cristo para morrer numa cruz, pagando o preço do nosso castigo e tomando sobre si o nosso pecado. Fomos justificados gratuitamente por sua graça, por meio da redenção que há em Cristo Jesus. Deus o ofereceu como sacrifício para propiciação mediante a fé, pelo seu sangue, demonstrando a sua justiça (Romanos 3:24-25a). Porém a salvação vem para nós no momento em que dobramos diante de Deus com corações contritos pelo pecado e desobediência, pedindo perdão e aceitando pela fé Jesus Cristo como Salvador e Senhor. Temos que abrir nossos corações para receber aquilo que Deus predestinou que seria nosso!

 

Então uma parte da primeira sentença deste artigo é a verdade: “os predestinados vão ser salvos mesmos.” No entanto a outra frase, “não adianta fazer missões”, é bem errada! Fazer missões é o centro da vontade de Deus para nossas vidas e uma das mais importantes razões dEle ter nos predestinado! Ele escolhe Seu povo para ser canal da Sua glória ao mundo (compare Êxodo 19:4-5 e 1 Pedro 2:9).

 

Uma ilustração disto seria a vida de Cornélio em Atos 10. Cornélio era um homem piedoso: orava, dava esmola, e era temente a Deus. Mas Cornélio, apesar de predestinado, não era salvo ainda. Era necessário o Apóstolo Pedro ir até a casa dele para explicar o caminho de salvação. Era necessário Cornélio aceitar na sua vida a presença real de Jesus Cristo. Deus não mandou um anjo para evangelizar (apesar que uns anjos participaram no preparo do caminho). Pedro era um servo dEle, pronto a obedecê-lO, mesmo difícil por causa do egoísmo e etnocentrismo do Apóstolo.

 

O texto mais difícil a entender no Novo Testamento é Romanos 9-11. Predestinação é um dos assuntos principais deste texto onde Paulo tenta levar os crentes de Roma a apreciar quem são dentre dos propósitos eternos de Deus. Para os que queixam contra a doutrina de predestinação Paulo responde:

 

Mas algum de vocês me dirá: “Então, por que Deus ainda nos culpa? Pois, quem resiste à sua vontade?” Mas quem é você, ó homem, para questionar a Deus? “Acaso aquilo que é formado pode dizer ao que o formou: ‘Por que me fizeste assim?'” O oleiro não tem direito de fazer do mesmo barro um vaso para fins nobres e outro para uso desonroso? E se Deus, querendo mostrar a sua ira e tornar conhecido o seu poder, suportou com grande paciência os vasos de sua ira, preparados para a destruição? Que dizer, se ele fez isto para tornar conhecidas as riquezas de sua glória aos vasos de sua misericórdia, que preparou de antemão para glória, ou seja, a nós, a quem também chamou, não apenas dentre os judeus, mas também dentre os gentios?

(Romanos 9:19-24)

 

Um texto assim, difícil a entender, é apenas um lado do paradoxo. O outro lado vem logo em seguida quando Paulo deixa claro que os Judeus não predestinados tinham rejeitados a Deus em dureza de coração e desobediência. Ainda bem que no final deste texto a Bíblia diz:

 

O profundidade da riqueza, tanto da sabedoria, como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e quão inescrutáveis os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro lhe deu a êle para que lhe venha a ser restituído? Porque dele e por meio dele e para ele são todas as cousas. A ele pois, a glória eternamente. Amém.”

 

O que tem tudo isto haver com missões? É que muitas vezes nós tomamos apenas um lado do paradoxo de Deus, tirando qualquer responsabilidade nossa em relação a salvação de outros. Nos tornamos fatalistas em nossa conduta cristã, pensando que Deus “vai dar um jeito” para os povos que nunca ouviram a mensagem do Evangelho.

 

É de alta importância que no meio de Romanos 9-11, o texto mais profundo sobre a soberania de Deus, temos também um dos textos mais enfáticos sobre missões.

 

Se com a tua boca confessres a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvos. Porque com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa a respeito da salvação. (. . .) Porque: todo aquele que invocar o nome do Senhor, será salvo. Como, porém, invocarão aquele em que não creram? e como crerão naquele de quem nada ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados? (Romanos 10:9-10, 13-15)

 

Como ouvirão se não há missões? Como haverá missões se nós, todos nós, da Igreja de Jesus Cristo, não começarmos a nos preocupar em cumprir a vontade de Deus? Ele nos escolheu justamente porque Ele ama os povos em toda a terra. Ele nos enviou para eles, claramente ensinado no Antigo e no Novo Testamento. Jesus preparou os pais da Igreja, ensinando-os a serem missionários, e no fim enviando-os em Seu lugar e em Seu Nome até aos confins da terra. Predestinação e missões andam juntos; não se contradizem, mas são interdependentes.

 

Deus nos predestinou para glorificá-lO e para levar as Sua glória às nações. Ele nos predestinou para sermos dEle, raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1 Pedro 2:9).

 

Postado por Tiago H. Souza