Respondendo ao convite do Evangelho. Lucas 10:1-24 – Tiago Souza

Respondendo ao convite do evangelho – Lucas 10:1-24

 

Introdução:

Você já viu o processo da purificação do ouro? O ouro, claro, não vem todo modelado como nós o vemos nas vitrines das relojoarias. Ele não é encontrado em barras, já todo modelado. O ouro é encontrado muitas vezes como uma pedra preta. Talvez pudéssemos tropeçar sobre ela e nem desconfiar que se trate de uma pepita de ouro! Pois bem, o ouro chega de forma bruta nas mãos do ourives, a pessoa qualificada para purificar o ouro. E como aquela pedra bruta, sem formato, chega até nós tão bonita e reluzente enfeitando a correntinha do moço e o brinco das moças? O ourives pega a pepita de ouro e a coloca em um recipiente chamado caidinho. No cadinho, o ourives pega um maçarico e começa a esquentar e a derreter o ouro.

Ele passa algum tempo ali colocando a chama do maçarico naquela pedra. Depois de levar muito fogo e estar já em estado liquido o ourives então joga algumas substancias químicas que tiram todas as impurezas, separando o ouro puro derretido dos demais resíduos. E quando o ourives termina a sua seção de purificação do ouro? Quando ele consegue ver a sua face resplandecer no ouro já derretido. Ele só termina a purificação quando ele consegue observar a seu próprio rosto no ouro.  Isso é muito interessante porque eu vejo o mesmo processo na vida dos discípulos e nas nossas vidas também. Jesus, assim como o ourives, escolhe algumas pedras que aparentemente ninguém da um real furado e os fazem discípulo amados.                                                                                                                       Image

Ele coloca cada um dentro do seu cadinho, pega o seu maçarico celestial e taca fogo. O proposito é nos transformar de  pedra bruta á discípulos. De pecadores á santos. E no processo dessa purificação (discipulado) Ele faz alguns convites e espera de nós algumas respostas!

 

Elucidação:

Quando chegamos ao capitulo 10 de Lucas já temos algumas informações sobre a pessoa e a obra de Cristo, bem como Lucas o retrata para nós. Cristo, por exemplo, é aquele que vence todo tipo de pecado, doenças e demônios no capítulo 4. Cristo também é aquele que chama para si discípulos e o faz cooperadores da obra de Deus no cap. 5.  Ele é descrito como o Senhor do Sábado reivindicando para si mesmo a adoração de todos os dias! Também no cap. 7 Cristo é retratado como aquele que tem poder sobre a vida e sobre a morte ressuscitando o filho de uma viúva em Naim. Lucas nos fala também que Cristo é aquele que é acessível a todos. Todo homem e toda mulher pode se achegar ao filho de Deus e adora-lo. Ainda na narrativa do cap. 7 Lucas nos fala de uma pecadora que chora e deposita o seu rico perfume aos pé de Jesus. Cristo também é retratado para nós no cap. 8 como aquele que tem poder sobre a criação. Jesus acalma a tempestade e faz os próprios discípulos se perguntarem: “quem é este que até o vento e as águas lhe obedecem?” Lucas também descreve Jesus como aquele que é o Deus de toda a provisão. O impossível para os homens se torna possível para Jesus. Ele toma em suas mãos cinco pães e dois peixinhos, faz o milagre da multiplicação e alimenta cinco mil homens no cap.9. Ainda nesse mesmo capítulo Cristo é descrito como o “filho de Deus” e “o ungido” quando este se transfigurou, teve o seu corpo glorificado, diante dos olhos de Pedro, Tiago e João.

Portanto, Lucas registra muitas ações acerca da pessoa e da obra de Cristo. Por onde o Deus encarnado passava este ia realizando milagres e maravilhas em meio ao povo. Os doentes eram trazidos e voltavam curados! Os endemoniados eram trazidos e estes voltavam libertos.  Quando Jesus encontrava um cortejo fúnebre, o lamento acabava por ali, pois o Senhor da vida manifestava o seu poder ressuscitando os mortos!  

 Então chegamos ao capitulo 10 de Lucas e o processo do discipulado está em andamento. E queria frisar  o modelo de discipulado de Jesus: Primeiro Cristo convida os discípulos para ver e presenciar o seu poder. Depois ele convida os discípulos para participar do seu poder, como no caso da multiplicação dos pães, e agora Cristo convida e envia os discípulos para proclamar O seu poder.

 

 Então, da mesma forma Cristo nos CONVIDA a observar, participar e proclamar o poder de Deus!

Ele grita aos nossos ouvidos: Responda ao convite que o evangelho nos faz hoje!

 

A pergunta é: De que forma respondemos ao convite do evangelho de Cristo? De que forma podemos responder o convite do evangelho nesses 24 versos do cap. 10?

 

1-    Respondemos ao convite do evangelho proclamando o amor de Deus! verso 1-9

1.    Há uma verdade latente na mensagem do evangelho. A mensagem é esta:  Deus nos ama! Não sabemos a razão disso, não sabemos o porque, mas temos a plena convicção que Ele nos ama. Ele amou os discípulos e agora quer expandir o seu amor para outros lugares. O amor de Cristo não pode estar resumido a um grupinho de 12 apóstolos e 70 discípulos. Não! O seu amor rompe com todas as formas de segregação ou limites numéricos! Cristo quer fazer o seu nome e a seu ministério conhecido em outros lugares. Não é de se admirar que o amor incondicional de Cristo esteja totalmente ligado com o tema da mensagem: o Reino de Deus.

 2.    Como bem eu disse, os discípulos estão no processo da escola de discipulado. Jesus chama e envia 70 discípulos para uma missão. Mas antes disso ele fala sobre um grande problema e uma grande solução para isso. O problema é: A seara é grande e poucos são os trabalhadores. A solução: ore e peça ao Senhor da seara para mandar mais trabalhadores para a sua colheita. Portanto os discípulos sabem duas coisas : 1° missões é urgente e é escassa de missionários! 2° Deus é o Deus das missões! Ele é o senhor da seara e pode trazer mais missionários para a sua obra.

 3.    A este ponto Cristo sabe que alguns já estão prontos para serem enviados. Ele chama os discípulos para ver e presenciar o poder de Deus. Ele chama os discípulos para sentir e participar do poder de Deus e agora ele chama os discípulos para proclamar o seu amor através da vinda do Reino de Deus.

4.    Jesus então dá algumas instruções sobre esta viagem missionária. Segundo as orientações de Jesus esta missão será muito perigosa. Jesus envia os seus discípulos com a mensagem do Reino, mas eles estariam como ovelhas em meio a lobos! A primeira vista este é o tipo de trabalho não muito invejável. Eles estariam em território inimigo. Mas não é o pastor de suas almas que está os enviando como ovelhas? Ele há de cuidar de cada uma delas! Jesus também pede para eles levarem o necessário! Uma segunda bolsa será desnecessária; um saco de viagem será desnecessário; um par de sandálias extras será desnecessário; e conversas demoradas ao estilo comum no oriente também é desnecessário. Então Jesus deixa muito claro a urgência quanto á proclamação do amor e a dependência total para este amor!

Eles estariam levando a mensagem do amor na proclamação, os sinais do amor nas curas e libertação e também a manutenção divina nas suas próprias vidas! Este foi o mesmo Jesus que disse: “olhai para as aves do céu. Elas não plantam e não trabalham e eu as sustento todas elas. Vocês não tem mais valor que elas?” Mateus 6:26.  Portanto, não só a mensagem, mas a própria vida desses missionários seria um reflexo do próprio amor que estes estariam levando. Em outras palavras eles estariam dizendo: “O Reino de Deus está tão próximo de vocês, quanto está de nós. Olhe para nós, fomos transformados e temos a nossa vida na palma da mão do Senhor! “Foi ele mesmo que nos chamou, preparou, nos enviou e agora nos sustenta enquanto pregamos para vocês”. Então, queridos, é este amor que nos chama, que foi com a nossa cara por algum motivo nele mesmo, que nos chama para o discipulado e nos envia a proclamar este mesmo evangelho de amor anunciando o Reino de Deus! Ele nos convida a compartilhar dessa graça com outros, amar outros os quais nunca vimos antes! Isso é o evangelho! O evangelho do amor de Jesus nos envia para anunciar o Reino de Deus em todos os lugares!

 5.    Você acha mesmo que consegue segurar o amor de Deus? Você acha mesmo que o evangelismo mundial acabou quando você foi salvo? Você conhece a responsabilidade de levar este amor que lhe alcançou para outras pessoas? Você assim como eu está na escola do discipulado de Jesus! Portanto pergunto: até quando você vai gazear a aula do discipulado prático? Responda hoje o convite do evangelho que te chama a levar e proclamar o amor de Deus para todas as pessoas! 

 

 

2-    Respondemos ao convite do evangelho proclamando o juízo de Cristo! Verso 10-16

1.    Ainda dando as ultimas instruções para o envio dos 70, Jesus fala sobre a hostilidade de alguns ao receberem a mensagem. Será que existem pessoas que podem rejeitar tão grande amor? Sim, infelizmente existe. A mensagem que estes estão levando para a salvação dessa gente é o Reino de Deus! E quando estes o rejeitarem? Jesus orienta os seus missionários a sair pelas ruas e dizer: “até o pó do nosso sapato nós sacudimos contra vocês. Fiquem certo disso: O Reino de Deus ainda está perto de vocês!” Ou seja, a mensagem é a mesma para aqueles que recebem e para aqueles que rejeitam. A aceitação ou não daqueles que ouvem o evangelho não altera o conteúdo da mensagem: o Reino de Deus está próximo! O que tem de diferente então? A forma como essa mensagem vai ministrar ao coração de cada um. Para os que receberam a mensagem do Reino de Deus ela se torna salvação, para aqueles que a rejeitarem é pura condenação. A atitude dessas pessoas ao rejeitar a mensagem dos missionários é rejeitar aquele que os enviou, ou seja, eles estavam rejeitando a própria salvação em Cristo. Rejeitar a mensagem do evangelho é assinar com o seu próprio punho a sua própria condenação! É pegar um passaporte carimbado ao inferno! Cuidado! Rejeitar a mensagem do evangelho é trazer o Reino de Deus para a sua própria condenação.

 2.    Mas porque o evangelho é tão duro assim? Por que Jesus fala de forma tão severa? A partir do verso 12 o próprio Jesus descreve cidades inteiras que experimentaram milagres, sinais e prodígios do Senhor e ainda continuaram impenitentes! Há uma razão para tão grande condenação: A glória de Cristo foi vista pelos olhos daquelas cidades e elas não se arrependeram de seus pecados. Jesus ainda diz que haverá mais tolerância para Sodoma do que para aquela cidade: “Ai de você, Corazim! Ai de você Betsaida! Por que se os milagres que foram realizados entre vocês o fossem em Tiro e, há muito tempo eles teriam se arrependido. E você Cafarnaum: será levada até o céu? Não! Você descerá até o hades”! Os homens têm razões suficientes para ser condenados! Eles são pecadores por natureza Salmo 51; Eles estão mortos em pecados Efésios 2; Eles suprimem a verdade de Deus pela mentira Romanos 1:18; e quando o Senhor lhes mostra a sua Glória operando sinais e milagres eles ainda se encontram impenitentes!

Esta foi a mesma situação de Paulo e Barnabé quando chegaram em Listra em sua primeira viagem missionária. Em Atos 14 Paulo e Barnabé chegam em Listra, uma cidade pagã, e o Senhor por misericórdia opera um milagre. Um paralitico volta andar diante dos olhos daqueles pagãos. Qual seria a atitude correta daquela gente? Se arrepender e crer em Deus! Mas não foi isso que aconteceu. O milagre foi feito por Deus mais eles ainda continuaram com a sua impenitência, não se arrependeram e aumentaram ainda mais o seu paganismo querendo fazer de Paulo e Barnabé um deus. Portanto os milagres devem trazer o homem ao arrependimento, mas eles não se arrependem! 

3.    Esse é o verdadeiro proposito dos milagres e dos sinais: revelar a glória de Deus para trazer arrependimento no coração do homem! As palavras de Jesus são duras, mas são verdadeiras! São um pouco amargas, mas são necessárias! As palavras de Cristo aqui é um santo remédio para as nossas almas. Precisamos hoje assumir de uma vez por todas pregar um evangelho sim que fala de um Deus que nos ama, que é cheio de graça e perdão, mas um evangelho que também nos fala de um Deus justo e irado para com o pecado. Deus não terá misericórdia para aqueles se encontram impenitentes. Na via para a salvação Deus prepara e arquiteta um meio de salvar a mim e a você, mas se não atentarmos para essa mensagem, o juízo do Senhor será inevitável.

Portanto, nós respondemos o convite do evangelho quando proclamamos  o juízo certo de Cristo para aqueles que se encontram impenitente! Por que se não fosse assim, a morte de Cristo seria totalmente em vão.

Eu me lembro de que certa vez estava pregando o evangelho no sertão da Paraíba, numa cidadezinha chamada Santa Helena. Estava com alguns amigos de São Paulo na casa da dona Maria pregando o evangelho, passamos ali algum tempo e ela não mostrou nenhum sinal de arrependimento. Alias, nos tratou e tratou a mensagem com grande hostilidade. Não havendo mais possibilidade de diálogo meu amigo colocou a sua mão no ombro da dona Maria e disse: “Sendo assim, nós não temos mais palavras de consolo para você.” Saímos daquele evangelismo de cabeça erguida e com o coração em pedaços, por que naquele dia ela chamou o juízo de Cristo para si.

 

 4.     Respondemos ao convite do evangelho quando conhecemos a alegria da salvação! Verso 17-20

1.    O verso 17 fala sobre o retorno desses 70 discípulos missionários. Não sabemos quando eles voltaram ou se eles voltaram todos juntos. O que o texto vai nos informar é que eles voltaram cheios de alegria. No original grego “possuídos de grande alegria”. E qual era o motivo? Os demônios se submeteram a eles e eles os expulsaram. Na viagem missionária estes discípulos encontraram muita gente possessa e escrava por demônios. Eles, na autoridade que Jesus lhes tinha concedido expulsaram estes espíritos imundos. Mas há algo singular nesse trecho! Note comigo um fato interessante: nenhum deles relatou uma conversão se quer!  Todos estavam jubilosos pela libertação de muitos que estavam oprimidos pelo demônio, mas nenhum falou ou se alegrou por causa de alguém que se arrependeu! Alias, nem sabemos se houve conversão nessa viagem, o texto não fala! Não fala de nenhum arrependimento ou entrega. Nada! Portanto, eles estavam depositando a sua alegria em coisas não tão importantes. Não tão importantes? Sim, quando comparado a salvação destes indivíduos! A obra da salvação é maior do que a obra da libertação. Enquanto a obra da libertação vai tratar a vida física e social do individuo, a obra da salvação vai tratar com a vida espiritual e o destino eterno.

 2.    Por isso Jesus disse: “Eu vi Satanás caindo do céu como um relâmpago. Sim, eu lhe dei autoridade para pisar sobre serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo. Contudo, alegrem-se, não porque os espíritos se submetem a vocês, mas porque seus nomes estão escritos no céu!”. E é exatamente nisso que eles devem depositar toda a sua alegria. A nossa alegria não está em ver expulsão de demônios aqui, milagres ali ou acolá. Não! A minha alegria esta em saber que eu mesmo sendo um pobre pecador tive o privilégio, dado por Cristo, de ter meu nome escrito nos céus. Aqui sim está a verdadeira alegria do crente! Não estão nos sinais da obra de Cristo, mas está no próprio Cristo que nos concede toda a salvação! Por isso nós respondemos ao convite do evangelho quando nos alegramos na real e verdadeira alegria: A alegria da salvação de Cristo!

 3.     A alegria e o prazer do crente sempre estiveram ligado com o tema da salvação. Veja o que disse Isaías 12:3 quando estava profetizando o triunfo de Cristo: “ Deus é a minha salvação, sim, o Senhor é a força do meu cântico. Vocês com muita ALEGRIA tiraram água das fontes da salvação!”. Quer outro exemplo? Quando Davi pecou com Bate-Seba e caiu em profundo arrependimento este escreveu no Salmo 51:11-12: Não tire de mim a tua presença e nem tires de mim o teu Santo Espirito, mas devolve-me a ALEGRIA da tua salvação”! A nossa alegria tem um lugar para fazer morada! Este lugar é na salvação em Cristo! Ele é a nossa verdadeira e mais pura alegria.

 

Por ultimo:

4.    Nós respondemos ao convite do evangelho descansando na soberania de Cristo! Verso 21-24

1.    Logo depois de nos revelar onde devemos depositar a nossa alegria, Cristo ora ao Pai e o louva por todo esse processo. A Salvação dada pela obra exclusiva do Pai é motivo de adoração por Jesus. Toda a mensagem do evangelho que eles receberam, creram e foram chamados a pregar não é fabricação humana! Ela é uma revelação divina, que remete a Deus a exclusividade da eficácia sobre os pecadores. Diferente das rodinhas onde alguns descreem, outros zombam e ainda outros a tem como uma mentira, a total soberania de Deus é motivo de louvor para Cristo. Quando este ora ao pai louvando pela salvação daqueles que Ele quer, Cristo pretende ensinar os seus discípulos a descansar na plena soberania de Deus. Ou seja, pregamos o evangelho fielmente e deixamos o resultado para Deus. Ele há de salvar os seus eleitos e isso é motivo de louvor e glória ao Deus-Pai. Ele a torna obscura para aqueles que são “cultos” e “intelectuais”, mas faz da mensagem do evangelho algo claro para aqueles são “pequeninos” e impossibilitados de qualquer coisa!

Nós precisamos responder ao evangelho descansando em sua soberania. Talvez você não entenda, e você também nem precisa entender a soberana vontade do Senhor, mas você precisa aceita-la e fazer dela um lugar de descanso para a sua alma! Foi o mesmo Cristo que disse a seus discípulos “Não fostes vós que me escolhestes, ao contrário, eu escolhi a vós outros (João 15:16) O que ele que dizer com isso? Descanse na minha soberana vontade! Acerca da sua própria morte ele diz: “Vocês não podem tomar a minha vida, sou eu que a dou por vós!(João 10:18).

A eficácia do chamado soberano pertence a Deus e a Deus somente! O evangelho é uma revelação do pai, portanto ao pregarmos o evangelho devemos esperar que o Pai a torne fonte de revelação para os que ouvem. Isso nos dá o que? Descanso! Não vamos se autoflagelar se o nosso discurso não convenceu fulano ou ciclano. Não! Nós não temos esse poder! O que podemos fazer é abrir este livro, pregar este livro, ser fiel a ele na comunicação e pedir ao Pai para que ele salve os pecadores. No mais, a obra da salvação está sob o domínio do agrado de Deus, verso 21. Portanto, nós respondemos ao convite do evangelho descansando na soberana vontade de Deus!

 

Conclusão:

1.  Assim como os discípulos, nós também estamos na escola do discipulado de Cristo. Foi Ele mesmo que nos chamou, nos trouxe para perto, nos instrui e nos enviou a pregar o evangelho. A ordem já foi dada. O convite já foi feito e está sendo feito mais uma vez agora: Responda ao convite do evangelho! Proclame o amor imensurável de Cristo no seu trabalho, na sua família, na sua universidade. Faça o amor de Cristo conhecido para aqueles que ainda não conhecem! Proclame o juízo justo de Cristo! Conheça e proclame o juízo de Cristo. Ele um dia há de julgar todos os homens. Todos os atos, sejam eles grandes ou pequenos, são conhecidos e estão sob o juízo de Cristo. Conheça e faça conhecida a verdadeira alegria da salvação! Tenha prazer em Deus e naquilo que ele te deu de mais importante.  E por ultimo: Descanse nos braços da soberania de Deus. O senhor sabe muito bem o que está fazendo, ele não precisa da nossa opinião ou do nosso palpite!

Preguemos o evangelho e esperemos que Ele revele o evangelho para quem Ele quer! Por ultimo, glorifiquemos ao Senhor por ele ter nos escolhido e aceitado como pecadores. Por Ele ter nos achado na mina chamado pecado, e ter feito de nós pepitas de ouro para a glória do seu nome!

O que o Senhor quer é que eu e você possamos nos matricular de uma vez por todas na escola de discipulado de Cristo e aprender com ele a devida forma de responder ao convite do evangelho que ele nos faz todos os dias!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s