Algumas percepções que tive na entrevista que Rob Bell deu a revista VEJA – Tiago Souza

Algumas percepções que tive na entrevista que Rob Bell deu a revista VEJA:

Veja a entrevista no link : http://noticias.gospelmais.com.br/files/2012/11/Rob-Bell_Veja.pdf

Rob Bell -  Revelou sua doutrina universalista ao publicar o livro "Love Wins" em 2011

Rob Bell – Revelou sua doutrina universalista ao publicar o livro “Love Wins” em 2011

Pergunta 2:  Argumentos mais fracos do que as do Inri Christo. Deve-se perguntar ao Bell se ele tem alguma filmagem do Amor, Céu ou do próprio Deus, já que ele diz que nisso ele acredita!

Pergunta 3:  Incoerencia gramatical e hermenêutica. Jesus costumeiramente usava figuras de linguagem e metáforas para dizer algo sobre a REALIDADE da eternidade

Pergunta 4: Inferno não é sinônimo de Mal. Se fosse assim, Jesus não precisaria falar sobre o “inferno” uma vez que as pessoas o viam diariamente.

Pergunta 5: Bell deixa de lado toda a historia ortodoxa clássica do conceito inferno, e prefere acreditar na percepção do seu próprio coração acerca de Céu e Inferno. ( ele esqueceu que se estiver errado ele ta encrencado, enquanto nós os que acreditamos na existência do inferno não, uma vez “ O Amor Vence no Final”).  Não seria o coração humano mais enganoso do que todas as coisas?

Pergunta 6 : A ortodoxia clássica (do qual ele se refere como sub-cultura) não vê o amor de Deus em detrimento a sua Justiça, ou a sua Ira. O ponto de partida não é o amor de Deus por nós, mas o amor de Deus por Ele mesmo!

Pergunta 8: Bell se aproveita da situação drástica que algumas igrejas estão passando pela falta de fieis para respaldar seus ensinamentos. Quer dizer que se eu pregar o universalismo terei uma igreja cheia e vigorosa? A pergunta é: O Evangelho não fere o coração do pecador? O Evangelho não trará inimizade entre pais e filhos, filhos e pais? Meu “sucesso” como um pastor de igrejas é deixar o coração dos ouvintes feliz?

Pergunta 10: Bell se apresenta com os mesmos argumentos de gente famosa como Charles Russel ( testemunhas de Jeová), Smith (Mórmons) e gente “mutcho” loca como Paulo Coelho e outros que já tiveram uma experiência mística  com o divino mas nunca se preocuparam com a doutrina. LAMENTAVEL !!!

Pergunta 11 : Aqui Rob se mostra totalmente alheio as grandes doutrinas bíblicas como a “Justiça Divina” Uma das maiores manifestações de Deus no A.T e N.T é de um Deus ferindo pessoas, não por vingança, mas por que simplesmente Ele não pode ser neutro ao pecado do qual O fere profundamente.

Pergunta 12: (A resposta mais idiota da entrevista) A própria pergunta da Veja juntamente com a resposta do Bell desconstruiu todo o sentido de céu e inferno. Quer dizer que o homem está condenado ao PARAÍSO? Pergunta tola para uma resposta medíocre. Aqui, confesso que a VEJA não está entrevistando um líder evangélico, mas um cara que não lê a bíblia ou se a lê  interpreta ao seu “Bell” prazer. Se estamos condenados ao Céu, como fica Romanos 3?

Pergunta 14: Está na cara de onde vem toda essa doutrina universalista: Liberalismo Teólogico! É claro que um nascimento de uma criança é um milagre, mas não é sobrenatural como a ressurreição de Lazaro o foi. Já presenciei diversos nascimentos, mas estou para ver uma Ressurreição de um cadáver!

Pergunta 16: Para não muita surpresa dos leitores Rob Bell é também a favor do casamento Gay. É claro que fica fácil defender essa posição, uma vez que todos estão condenados ao Céu. Tudo está liberado!

Perguntas 17 e 18: Debate entre Darwinismo e Cristianismo se encerra na coerência dos fatos. A contribuição de Darwin para o cristianismo foi levantar perguntas. Essas perguntas são respondidas na Bíblia, onde há o relato da criação de todas as coisas e não há relato de evolução ( acredito que pode ter existido adaptação de espécies). O “Elo perdido de Darwin” ainda continua perdido! Por isso um debate entre Cristianismo e Darwinismo fica complicado quando este carece de suas principais provas.

Perguntas 20 e 21: Aqui Rob Bell da ás suas “caras” e confessa que dúvidas quanto o prega. Segundo Bell o Ghandi foi para o Céu porque foi um homem bom, já Hitler ele não sabe. Logo, Bell, alem de flertar com o liberalismo também tem suas perninhas no Catolicismo Romano, ou se preferir ou velhos ensinamentos judaizantes que promovem a salvação pelas obras. Aqui, ao que me parece, ele deixa o universalismo de lado e apela para a salvação pelas obras, acreditando que Ghandi estaja no Céu mas duvidando do “pobre coitado do Hitlher” Ora, não estavam todos condenados ao Céu?

Por fim:

Faltou embasamento bíblico e argumentos lógicos para respostas plausíveis!

Obviamente é difícil encontrar respaldo bíblico que defenda tal doutrina. Por isso reconheço o esforço ( mesmo que seja inútil, besta e sem sentido algum) de Rob Bell propagar uma salvação universal, mesmo que seja em seu  mundo “de faz de contas”!

Tiago Souza

 

 

 

Anúncios

Um comentário em “Algumas percepções que tive na entrevista que Rob Bell deu a revista VEJA – Tiago Souza

  1. Aos protestantes falta honestidade, pois sabem que aquilo que chamam de “ortodoxia clássica” um dia considerou outras interpretações como sendo sub-cultura.
    Pô, desperdício por desperdício, quem sabe a Veja deveria ter desperdiçado as páginas amarelas com vc e sua teologia, que tem respostas prontas para perguntas que o homem contemporâneo não está mais fazendo. O medo da verdade é o medo da liberdade, é a falta do Amor, aquele que lança fora o medo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s