O que eu penso sobre o homossexualismo? – Tiago Souza

O que eu penso sobre o homossexualismo?

Antes de dizer o que penso quero dizer o que a igreja brasileira pensa sobre a homossexualidade. Na verdade a igreja não pensa.  O que a igreja “pensa” é o que Silas Malafaia pensa. Por quê? Por que infelizmente Silas é um dos únicos que tem se posicionado na mídia dando sua opinião sobre o assunto. A igreja vê  Silas debater contra os defensores da homossexualidade dizendo que o homossexualismo é “comportamental” e sem pensar duas vezes tomam isso como verdade, pois, é o “homem de Deus” que esta falando.

A igreja não é levada a pensar biblicamente sobre o assunto, então ingerem o que outros estudaram. Esse é um erro grave. Então antes de tudo, até mesmo de discordar de mim, por favor, estude as escrituras e não dependa de ninguém para me dar suas respostas ok?

Agora o bicho vai pegar…

O homossexualismo não é comportamental. Ninguém nasce macho por excelência e diante de uma oportunidade é levado pelo comportamento. Se o homossexualismo não é comportamental então um tratamento em clinicas não terá grandes resultados.

O homossexualismo não é demônio. Mesmo podendo ter sim influencias de satanás, não vejo que satanás esta por trás de todo caso de homossexualismo. Se não é demônio, o homossexualismo não pode ser resolvido através de uma sessão de descarrego ou algo assim.

O homossexualismo não é doença. Ele não está no gene do homem ou da mulher. Você não pode tratar a homossexualidade na farmácia da esquina.

Então o que é o Homossexualismo?

Homossexualismo é pecado!

A bíblia diz o seguinte: “Eis que em iniqüidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.. Salmos 51:5. O que isso quer dizer? Trocando em miúdos, mesmo você não sendo um homossexual você poderia ser. Por quê? Porque em pecado te concebeu a sua mãe. Temos o pecado herdado da nossa mãe e o pecado imputado de Adão. Isso quer dizer que você é em potencial: um psicopata, um assassino, um ladrão, um estuprador, um mentiroso, um arrogante e por fim você poderia ser um homossexual mesmo não o sendo. Você não é, mas poderia ser. Porque? Por causa da inclinação de cada um para cada pecado.

Deixa-me eu dar um exemplo:
Você é um cidadão comum. Trabalha, estuda comete alguns pecados aqui, outros ali. Mas você já parou para pensar que você poderia ser tão maléfico quanto Hitler? Você nasceu exatamente como ele, mas pela graça comum de Deus você não se tornou como ele. Você não é Hitler, mas poderia ser!

Voltando ao assunto…

Então o homossexualismo não é tão simples como um comportamento, doença ou demônio. O homossexualismo vai além de tudo isso e está arraigado na alma de alguns homens e mulheres que nascem com a pré-disposição para esse tipo de pecado, e com isso não estou falando que o problema é genético. Deus fez homem e fez mulher como já falei, mas isso não descarta minha tese que o problema é de nascimento. Pecadores geram pecadores, e isso é umas das maiores desgraças da vida.

Então o que é o homossexualismo? O homossexualismo é de cunho espiritual!

Não estamos (como igreja) entendendo como lidar com um homossexual. Colocamos o homossexual para ser curado, liberto e muitas vezes mentimos e o defraudamos com um “tapinha nas costas” dizendo que agora tudo mudou. Não é bem assim!

Vamos para a solução…

Se de fato o homossexualismo é problema de pecado, como eu penso, então devemos apelar para duas coisas: Conversão e santificação.
A conversão seguida de uma eterna santificação é a melhor solução para o homossexual. Como todos os outros tipos de pecado ( que não são maiores ou menores) o homossexualismo se vence dia após dia em oração, jejum e comunhão com a igreja.

Diante disso confesso que precisamos (como igreja) reavaliar como estamos lidando com esse caso que aumenta cada vez mais na sociedade. Devemos tratar pecado como pecado custe o que custar, mas entendendo que isto não esta relacionado somente com a “sem-vergonhice de alguém”, mas este inserido na alma do homem pecador, até que este encontre a Jesus Cristo.

Vamos para algumas perguntas:

Deus pode “curar” um homossexual?
– Sim Ele pode.

Deus pode NÃO “curar” um homossexual?
– Sim, Ele pode também.

Porque Deus NÃO curaria um homossexual?
– Por que Ele não deixaria de dar ao homossexual a oportunidade de Glorificar o Seu nome toda vez que ele vence o pecado do homossexualismo. Ou seja, toda vez que um pecador é agraciado por Deus para vencer qualquer tipo de pecado isso tem um efeito de glorificação a Deus.

Neste caso Deus abandonaria o homossexual arrependido?
– De maneira nenhuma. Deus dá ao homossexual a força para vencer o pecado. Deus dá ao homossexual a igreja para comunhão e Deus dá ao homossexual o livre acesso para orar, desabafar e pedir ajuda em momentos de crise.

Um homossexual pode ter tido um encontro com o evangelho?
– Sim.

Um homossexual que permanece na prática sexual da homossexualidade pode ter tido um encontro com o evangelho?
– Não

E por fim…
Encerro  o que penso sobre o assunto. Oremos para que o Senhor nos ajude a lidar, tratar e permanecer amigos de tantas pessoas que estão saindo do armário.

Em Cristo,
Tiago Souza

 

 

Anúncios

11 comentários em “O que eu penso sobre o homossexualismo? – Tiago Souza

  1. Tiago, meu querido, você pareceu bem intencionado com este seu artigo e acertou quando disse que não se trata simplesmente de uma questão de comportamento. Mas sua opinião, como toda resposta dogmática, não está clara.

    Dai eu pergunto: Quem poderá socorrer o homossexual, então, meu amigo?

    Porque se a igreja pode, mas não sabe, segundo a sua constatação (já que ela precisa reavaliar sua atuação diante disso), esse pecador vai recorrer a quem?

    Porque se Deus pode, mas não quer porque necessita do sofrimento deste pecador para ser glorificado − aliás que deus mesquinho e cruel, mendigando glorificação às custas de um pecador que não tem o mínimo controle sobre sua vida de pecado − quem o poderá socorrer????

    Você se contradisse em alguns pontos:

    1. Você disse que não era doença, mas disse depois que Deus tinha a cura. Embora, às vezes, por precisar da angústia do homossexual para ser glorificado, Deus decida não curá-lo, ms a conta-gostas, o agracia com pequenas vitórias sobre a tentação − que tortura, hein?!
    2. Antes você disse que tal pessoa precisava de conversão e santificação − ora, como calvinista você deve acreditar que estas são obras unilaterais da parte de Deus, então qual o problema com esse deus que não faz o seu serviço direito?!
    3. O ponto “2”, acima, também é contraditório com a afirmação: “o homossexualismo se vence dia após dia em oração, jejum e comunhão com a igreja”;
    4. Você disse que é um problema espiritual, o pecado. E que qualquer um poderia se tornar um homossexual se ele se inclinasse para esta prática, comparando-a desvios de caráter. Mas desvio de caráter podem ser corrigidos, já a homossexualidade é um fato biológico, complexo de se lidar e que não cabe respostas evasivas, reducionistas;
    5. Você também disse que ninguém nasce homossexual, mas disse também que alguns homens e mulheres nascem com essa pre-disposição (deixou seus leitores ainda mais confusos);
    6. Se a solução está com a igreja e Deus é quem capacita a igreja, mas como você disse, a igreja não está sabendo lidar com isso, qual o problema com Deus?
    7. “Um homossexual que permanece na pratica sexual da homossexualidade pode ter tido um encontro com o evangelho? Não”: Esta é gritante. Porque se é pecado, comparado a mentir e roubar, e todos nós cometemos estes e estamos sujeitos a cometer tais pecados, então eu não conheço nenhum crente, inclusive eu e você, que tenha tido um encontro com o evangelho.

    Você tbm disse que a psicopatia, um distúrbio mental irreversível é um simples pecado, que pode ocorrer a qualquer um e ainda o comparou ao homossexualismo. Ninguém se torna um sociopata assim, mano. Vê direito essas tuas fontes. E a psicopatia não tem nada a ver com a homossexualidade.

    Outra coisa, você citou um texto poético (Sl 51.5), o interpretou literalmente e ainda afirmou q o pecado herdamos de nossas mães, como uma herança genética – teologia confusa e machista. Ora, o pecado não é uma questão espiritual?

    Enfim, a solução apresentada por você não foi clara, mas dogmática, ou seja, não se tem que entender, apenas aceitar cegamente. Por isso as minhas indagações.

    Mas não me leve tão a sério. Estou apenas sendo um “bom seminarista”, perturbando a ordem e a paz, rsrs… #sarcasmo.

    Um abraço.

    • Ola Wanderlan Gomes, tudo bom? de fato seu comentario foi o que mais me pertubou… espero te-lo pertubado tambem rsrs
      vamos devagar…
      1- o homossexuais em sua grande parte tem procurado a igreja para seu socorro? não! por que? porque ela não esta preparada biblicamente para lidar com o assunto. Há homossexuais que recorrem a igrejas e acham ajuda? sim! Há algumas poucas pessoas bem instrudias e praparadas para lidar com o assunto. Quando falo igreja estou falando da grande massa evangelica. Poucos irmãos bem instruidos para tratar com esse problema são tão infímos que realmente fui levado a generalizar a igreja no texto. Mas tem pessoas sim para socorrer os homossexuais, pretendo ser capacitado por Deus para isso.
      Usei o termo cura com as aspas porque acredito que a cura nada mais é do a santificação para não desejar mais o pecado. A “cura” então esta relacionado com o pecado e não com uma doença.
      Deus não é glorificado quando somos agraciados por Ele para vencer o pecado?

      2- Como calvinista acredito em grande parte dos postulados reformados. Mas conversão e santificação são duas coisas distintas. São dada juntas para a mesma pessoa em processos diferentes. Uma momentânea e outra gradativa.

      3- Não foi e não é contraditório uma vez que disse “homossexualismo” e não “homossexualidade”.

      4- Como voce mesmo disse a Homossexualidade hoje se trnou um problema biológico. Mas não era assim no principio. Já homossexualismo ( a prática) não deixa de ser um desvio de carater e nem tão pouco deixa de ser pecado. Voce faz diferencça entre desvio de carater e pecado? Não fui reducionista em dizer que o problema tem origem no pecado original, acho que tentei esplicar isso no texto.

      5 – Não disse que ninguem nasce homossexual. Pelo contrário, minha tese é que o problema esta na concepção de um pecador. um homossexual não nasce pecador porque cominou o ato, ele nasce pecador porque tem disposições internas que provavelmente o levarão a pecar.

      6- Deus não tem problema, a igreja tem problema. Se sua pergunta tem sentido me responda isso: a igreja tem problemas? se a resposta for sim me responda outra? qual o problema de Deus em não solucionar o problema da sua igreja?

      7- foi por exatamente isso que coloquei “permanecer na pratica”. A pratica constante do mesmo pecado é imcompativel com os salvos . 1°João 3.9 e Romanos 6

      8- A comparação não foi grosseira, inclusive deixo claro que meus pecados não maiores e nem menores. O que disse foi que psicopatia,homossexualismo,roubo e todos os demais pecados tem origem no Édem. Homossexualismo e psicopatia tem algo em comum: Genesis 3

      9 – a teologia que voce chamou de confusa e machista nada mais é que TEOLOGIA BÍBLICA. E ela não é confusa e nem machista! Até porque minha mãe não poderia me conceber sem ajuda do meu pai. Isso esplica o porque que Jesus é chamado de “O novo Adão” e teve que nascer de uma virgem com a semente (esperma) do Espirito Santo!

      Tentei ser claro o máximo possivel. Se não fui então me perdoe, não vou mexer na estrutura do texto!

      Qualquer outra colacação fica a vontade… assim que tiver tempo eu respondo

      • Fala Tiagão!

        Legal trocar ideias contigo, cara. Vamos lá. Também vou comentar os pontos.

        1. “Cura”, libertação, transformação… o fato é q a igreja evangélica vê tudo isso como sinônimos, como vc fez. A minha dúvida é: se é Deus quem pode mudar, porque Ele decide não querer mudar a pessoa homossexual? Que prazer doentio é esse desse deus pra não querer tirar a pessoa de tamanho sofrimento? Aquele seu argumento de glorificação é triste, mano.

        2. Entendo. Porque culpar o pecador, então? Não é Deus que dá, ou não?

        3. A OMS aboliu o termo “homossexualismo”, pois sugeria uma doença, o que não é. A prática, enfim, não teria uma “cura” determinada por Deus? Essa dieta espiritual diária contradiz a determinação divina de o libertar, ou não (seu argumento está bastante fraco aqui).

        4. Hoje não. Sempre teve um fator biológico como causa. A descoberta sim é recente. Então, como os estudos são recentes, podemos ter um outro olhar para esta questão e não a velha perspectiva dogmática medieval. Afinal de contas a terra é redonda e não chata e é ela quem gira em torno do sol, não o contrário (forçou a barra qui, continua com argumentos fracos, ms to com pressa, vamos em frente).

        5. Muito confuso. O cara nasce com a pre-disposição (como vc disse), mas nem a prática o torna isso. No entanto, ele tem isso dentro de si… Não entendi.

        6. Boa pergunta! Concordo. Mas vou deixar esta pergunta para você, já que foi você quem disse que Deus pode não querer “curar”, ou libertar o homossexual (comparando-se isso ao problema da igreja − viu q não é tão simples?!).

        7. Ah, entendi agora. Pergunta: quantas vezes tenho que cometer o mesmo pecado para que isso seja um atestado de que nunca tive um encontro com o evangelho?

        8 e 9. Ok, agora ficou mais claro o que vc está querendo dizer. Esse é um debate a parte, bem mais amplo. Mas você continua sugerindo que o pecado é uma herança genética e não um problema espiritual. E você disse sim que são as mães que passam isso para os seus filhos (não sei que teologia bíblica é essa).

        Bem, realmente eu curti debater contigo e este é o único ponto pessoal aqui, o resto são apenas ideias, nada pessoal. Insisti no debate porque é um assunto em voga para igreja (nós), porque gosto de filosofia e sou estudante de teologia. Acho que só temos a ganhar com isso. Se quiser responder fique à vontade, mas acho q vou encerrar por aqui.

        Um abração, meu irmão.

        P.S. Quase ia me esquecendo. Eu vi um vídeo e achei seu conteúdo muito interessante para este debate. Recomendo que o assista. Muito bem elaborado e tem referências bibliográficas muito boas. Olha o link: http://youtu.be/iyqmvNMQsQk

  2. Eu sugiro que amplie-se a bibliografia sobre o assunto. Se alguém quiser, posso mandar em pdf para os emails e links sobre ministérios cristãos que ajudam pessoas inconformadas e infelizes na prática e luta contra a homossexualidade.
    lucianabatera@hotmail.com

    • Luciana, quero sim.
      Vou te enviar um e-mail.
      Mas tem muito gay que não tem crise e outros quando saem do armário e sentem livres, felizes. Os ambientes religiosos, muitas vezes opressores é que muitas vezes os atormentam. Como lidar com isso? Dizemos simplesmente que ele está iludido, ou mentindo? Como a igreja (o ambiente) é perita em tornar a vida das pessoas um inferno, eu creio que esta questão não é tão simples assim.
      Grato.

  3. Concordo com a Luciana Figueiredo.
    É necessário que o autor do blog busque ler mais sobre o assunto em livros cristãos voltados para a área. É um assunto bem complexo. Em João Pessoa, há uma pastora ou missionária chamada Tânia da igreja Mirr (http://igrejamirr.org/) que entende muito sobre o assunto e que também aconselha vidas. Se possível, busque trocar umas ideias com ela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s