John Stott, o expositor – Por John Piper

Por John Piper

Em 1982, John Stott puniu a si mesmo por seu livro de 1966, Homens Feitos Novos. Foi uma exposição de Romanos 5 a 8. Eu o li em 1967 quando estava acordando para a grandeza das exposições. Ele concordou com uma carta crítica: “Seu livro é como uma casa sem janelas”, o que significa que não tinha ilustrações (Between Two Worlds, 240).

Minha resposta a isso foi, e é: Homens Feitos Novos não precisava de janelas. Foi tudo uma janela.

Eu estava me recuperando dos efeitos destrutivos do tipo de pregação que era 1% explicação e 99% ilustração. Eu nunca tinha ouvido o modo como John Stott pregava (e como ele transformou isso em livros). Foi fascinante. Emocionante. De repente, o significado de frases da Bíblia tornou-se um baú do tesouro a ser aberto.

John Stott - (27 de abril de 1921 - 27 de julho de 2011)

Até hoje, não tenho o menor interesse em assistir a um pregador tomar sua posição no topo da arca do tesouro (fechada) de frases da Bíblia e eloquentemente falar sobre sua vida ou sua família ou sobre a notícia, história, cultura ou filmes, ou mesmo sobre princípios teológicos gerais e outros temas, sem abrir o baú e me mostrar as jóias contidas nessas frases.

John Stott transformou as palavras da Bíblia em janelas da gloriosa realidade, explicando-as de forma clara, convincente, completa, coerente, doce, sem tolices, simples frases em inglês.

Para Stott “a verdadeira pregação cristã deve ser expositiva. . . “

“Exposição” refere-se ao conteúdo do sermão (a verdade bíblica) ao invés de seu estilo (um comentário em execução). Expor a Escritura é trazer o que está no texto e expô-la à vista. O expositor abre o que parece estar fechado, deixa claro o que é obscuro, desvenda o que está atado, e desdobra o que é bem embalado. “(Between Two Worlds, 125ff)

Sim! Era disso que eu morria de fome e nem sabia. Incrível! Alguém está me dizendo o que significam essas frases! Alguém está fazendo brilhar a luz sobre estas palavras. Tem um brilho tão forte que nem me deixa dormir! Estou acordando a décadas por lidar com a palavra de Deus. Obrigado. Obrigado.  Eu nem me importaria se me contasse qualquer história. Eu quero saber o que Deus quer dizer com estas palavras!

E é claro que o Deus quer dizer é incrivelmente importante e glorioso, temível, robusto, chocante, arrebatador e relevante. E as implicações estão caindo em cima de mim a cada minuto, e meu coração está agitado com o choque, o espanto, medo, a esperança, a tristeza, a alegria, ele grita e chora por socorro. Isto é o que eu tinha esperado por toda minha vida. Obrigado, John Stott, por me dizer o que essas palavras significam.

Naqueles dias, eu sabia que não podia pregar. Mas eu sabia que era este o tipo de pregação que eu queria ouvir – e se acontecesse um milagre, e eu me tornasse um pregador – era assim que eu queria pregar. Expositivamente. Articuladamente. Coerentemente. Claramente. Colocando as pessoas de cara com o texto. Destruindo a ignorância e a dúvida. Expressando a verdade e a realidade.

Então, John Stott, estou feliz que tenha pregado e escrito Homens Feitos Novos exatamente daquele jeito. Estou contente por ter pregado a maneira que você pregou. E quando você ouviu o seu “Muito Bem”, ontem no céu, eu não acho que Jesus quis dizer: “Exceto pela falta de ilustrações.”

Fonte: Desiring God

Postado por Tiago H. Souza

 

Anúncios

2 comentários em “John Stott, o expositor – Por John Piper

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s