O Código Famíliar na Carta aos Colossenses (Cl 3:18 – 4:1) – Tiago H. Souza

Por Tiago H. Souza

Introdução

A morte de Cristo também prove o antídoto real contra as tendências malignas da carne. Os colossenses, gentios, estavam mortos em delitos, pecados e na incircusição de sua carne. Mas eles creram no poder eficaz de Deus que ressuscitou Jesus dos mortos e foram batizados. Desta forma, eles se identificaram com a morte e ressurreição de Jesus. A Morte de Jesus pode ser comparada com a circuncisão, porque, á semelhança dessa, envolvia o despojamento literal da carne. De forma similiar, os colossenses foram circuncidados, não em sentido literal, mas metaforicamente.

Tudo isso implica também que os colossenses tinham uma nova identidade e que sua carne recebera um golpe mortal ( um ultimato). Eles estão agora vivos em Cristo, para Deus. Por isso, eles devem fazer morrer o que pertence ao estilo de vida antigo e pecaminoso, e despir-se do velho homem com suas praticas. Eles devem agora revestir-se do novo homem que esta sendo renovado em comunhão com a imagem do seu criador. (3:10)

Paulo descreve o significado de viver á imagem daquele por meio de quem Deus realizou essa reconciliação, isto é, buscar a reconciliação e paz com os outros. Barreiras sociais entre pessoas se desfazem; as pessoas amam umas as outras; a igreja vive em paz concentrada na adoração agradável a Deus; e a vida domestica é vivida em comunhão hamônica.Família Simpson

A Comunhão harmônica vivida dentro do contexto familiar

A idéia desse código familiar antedata Aristóteles, não é uma invenção do evangelho, porem a ênfase e a comunhão recíproca que a carta de Colossenses trás é deferente de todo pensamento filosófico até então. Existe algumas diferenças entre o que os filósofos pensavam sobre código familiar e o que Paulo expressa na carta aos Colossenses.

1 O cristianismo proclamado por Paulo, e outros, oferecia a força para cumprir os mandamentos , sendo essa força a graça de Deus. Todas as outras filosofias morais são vagões sem locomotivas.

2 O cristianismo também oferece um propósito para essa ética familiar e social. Esse propósito não era simplesmente tratar de viver de acordo com a natureza, mas fazer tudo para a gloria de Deus.

3 O a ética familiar oferecida pelo cristianismo nos da um padrão. Esse padrão é a vida de renuncia, amor e humildade de Cristo em todas áreas. E esse padrão não é para um grupo isolado, todos os grupos sociais e familiares estão sujeitos a esse padrão.

Mulheres e seus maridos

Vers.18:

não esta implicando a inferioridade das mulheres em relação aio seu marido. O que Paulo esta descrevendo é a posição  e função de cada um dentro da comunhão. O Fato dela ser submissa não esta relacionando que ela seja inferior mas esta estabelecendo uma conduta onde a responsabilidade da mulher fica em ser submissa para não houver desarmonia em pensamentos entre ela e seu marido.

Essa submissão não é absoluta. Caso ele peça que ela faça algo contra as escrituras ela tem todo o direito de nesse caso ( iluminado pelas escrituras) em desobedecer seu marido ( Atos 5:29).

Vers. 19

de maneira recíproca o marido ama a sua esposa e não ríspido com ela. A ênfase aqui é o amor dele para com ela. Um amor que supera e esta acima de tudo, um amor cristão pleno, Agapao.

Filhos e seus pais

 VERS. 20 – O Que Paulo esta combatendo aqui é a desobediência  dos filhos porque isso é de acordo com Rm. 1:30, um dos vícios do paganismo. Esse vicio ( a desobediência aos pais) é uma das marcas da cresecente maldade dos últimos dias(2Tm 3:2)

A tradução mais correta da parte b do versículo 20 é “ No Senhor”. A OBEDIENCIA AOS MANDAMENTOS DE Deus lhe é algo sempre agradável. “No Senhor”, isto é, em comunhão com ele e na dependência dele podemos ser feliz e ter prazer em obedecer nossos pais.

Escravos e seus senhores

Vers. 22: 4-1 vemos uma ênfase maior na função da escravo, provavelmente dentre os destinatários, havia mais escravos do que senhores.

O Apelo paulino recaí sobre a integridade que os escravos devem ter em trabalhar para seus senhores, não para agradar a homens mas com singeleza de coração, ou seja não impressionar seus senhores terrenos mas com retidão para com o Senhor. E Paulo ainda os anima e os garanti uma herança, algo que não era destinado a escravos. Por via de regra os escravos não tinham direito a herança, mas aqueles do qual Paulo esta se referindo herdam, pois o seu Senhor é Cristo

Conclusão

O código do lar, na carta de Paulo, esta integrado ao tema da reconciliação social que permeia toda a seção de 3:5 a 4:1 e que é, por sua vez, o reflexo da reconciliação com Deus posta em peração no universo por meio da morte de Cristo. No lar cristão, e na igreja, a igualdade de todos fortalece a ordenação dos relacionamentos porque “Cristo é tudo e está em todos” (3:11).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s