Breve resumo sobre a importancia da Hermenêutica Bíblica e alguns principios de interpretação.

Por Tiago H. Souza

Segundo o dicionario: A hermenêutica é a ciência que estabelece os princípios, leis e métodos de interpretação.

    A hermenêutica bíblica é forma mais viável e pratica que temos para nos ajudar a compreender e a explorar os pensamentos de Deus. Ela é o nosso guia no fantástico mundo das idéias, doutrinas e mandamentos do nosso Deus.

Sua palavra é verdadeira, fiel e nosso único meio de conhecê-lo. Imagine como seria a vida sem uma resposta para nossas maiores indagações. O que é verdade ou quem esta com a verdade?. Temos o privilégio de saber onde se encontra a resposta, apenas nos resta a procurá-la e entender como é a sua didática, e de que forma a verdade, do qual acreditamos, quer nos apresentar o que ela mesma é.

Pense como seria difícil um turista em uma terra estrangeira sem falar sequer uma palavra e sem ninguém para ajudá-lo. Agora aumente a dificuldade, porque o turista por natureza é cego. Ele não consegue ver as ruas, as avenidas, sua língua é diferente o impossibilitando de se comunicar e, enfim, ele esta em apuros por estar em um campo desconhecido por ele até então.

Da mesma forma se tornamos sem a utilização de princípios da hermenêutica bíblica que será como nosso guia turístico nessa terra longínqua e diferente.

Compreendermos de fato a passagem bíblica é compreender o ensino de Deus. Compreender os ensinos de Deus pode nos livrar de erros e assim estar familiarizados com os propósitos eternos de Deus para conosco.

Interpretar as escrituras sem os princípios de hermenêutica é como esse cego correr em uma rua sinuosa. Ele ira tropeçar e cair pelo simples fato de não ter em suas mãos algo que o auxilie.

A livre interpretação bíblica ( a não utilização dos princípios) tem sido ,dentre outros, uma das maiores tragédias da igreja. É por meio dela que nascem as heresias, o engano, as falsas doutrinas e os falsos mestres. A livre interpretação tende a desviar os propósitos de Deus no texto sagrado, e simplesmente apontar para nossas necessidades naquele momento. E assim cada texto bíblico, cada passagem , doutrina, parábola, ou mandamento é moldado pela necessidade de cada um, pois assim você tem a oportunidade de ser interprete do próprio Deus, ausentando ou acresentando suas palavras para sua maior comodidade.

Será que duas pessoas podem observar e interpretar o mesmo texto de forma diferente e mesmo assim dizer, “ eu sei o que Deus esta falando”? A resposta é NÃO.

Não há interpretações em uma passagem, há somente uma. E é nessa única interpretação que Deus irá nos abençoar quando a descobrir-mos, porque Ele é fiel com sua palavra pois “de maneira nenhuma pode negar-se a si mesmo.” II Timóteo 2:11-13.

Uma das razões que nos leva a buscar uma clareza da interpretação acha-se na natureza da própria escritura. Historicamente a igreja tem compreendido a natureza da escritura de maneira semelhante á sua compreensão da pessoa de Cristo. Conforme o professor George Ladd certa vez expressou: ”A bíblia é a Palavra de Deus dada nas palavras de (pessoas) na historia”. É esta natureza dupla da Bíblia que exige da nossa parte a tarefa da interpretação, pois ela chega até nós sob um abismo lingüístico histórico cultual que abrange desde a época precedente ao cristianismo até o primeiro século cristão. Nossa função então é analisar o significado dentro da intenção original do autor que, antes de tudo, foram aqueles que estiveram diante de Deus e receberam dele a mensagem que escreveram, ou seja, devemos entender sua cultura para dar significado em suas palavras. Somente assim poderemos compreender os propósitos de Deus em sua Palavra.

Então, de que forma podemos obter relações com um texto que foi escrito a muitos anos atrás em uma cultura totalmente diferente?

Usamos o O.I.A:     Observação da passagem

Interpretação da passagem

Aplicação da passagem.

O O.I.A será nosso ponto de partida, é por meio do O.I.A que usamos os demais princípios de hermenêutica que são:

1–  O principio do gênero literário.(o texto é uma carta? É uma narrativa histórica? É uma parábola? Entre outros)

2–   O principio do contexto literário. ( Qual o pensamento geral do autor no texto)

       3-      O principio do de fundo histórico-cultural. (O que se passava como pano de fundo na época)

       4-      O Principio do significado das palavras. (consulta ao Léxico, “dicionário” grego- português)

       5-      O principio da gramática. ( anáise sintática da estrutura textual)

       6-      O principio de que a Escritura interpreta a Escritura. (O N.T interpreta o A.T. Ter como princípio a pessoa de Cristo como chave hermenêutica de todo o A.T e N.T)

       7-      O principio de um significado.

       8-      O principio do significado mais simples.

       9-      O Princípio da evidencia interpretativa. ( procurar no texto evidencias que correspondem ao propósito e significado do texto)

      10-  O Principio da confirmação de fora. ( Principio criado por Stott que defende que muitas vezes teremos relatos extra-biblicos testificando o significado do texto

      11-  Aplicação do texto

Como exemplo, quero utilizar esses principios em um breve comentário do texto de Gálatas 3:8  “Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé, prenunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos.”

– O livro de Gálatas é um epistola Paulina (1).

– Endereçada a igreja da Galácia por volta do ano 49. O gálatas eram um povo celta que havia migrado da Gália (a atual França) para aquela região central no século 3° a.C. Os Romanos  conquistaram os gálatas em 189 a.C, porem permitiram a eles certa independência até 25ª.C, quando a Galácia se tornou uma província Romana, incorporando algumas regiões não habitadas pelos gálatas étnicos ( exemplo: partes da Licaonia, da Frigis e da Pisídia). Num sentido político, Galáxia passou a descrever toda a província romana, e não simplesmente a região pelos gálatas étnicos.

Paulo fundou igrejas nas cidades gálatas meridionais da Antioquia, Iconio, Listra e Derbe (At. 13:14 – 14:23). Ele escreve a Carta aos Gálatas para contrapor-se aos falsos mestres judaizantes que estavam abalando a doutrina central do Novo Testamento da justificação pela fé. Ignorando o decreto expresso no concilio de Jerusalém ( At.15:23-29), eles espalhavam o perigoso ensino de que os gentios deveriam, primeiro, torna-se prosélitos judeus e submeter-se a todas as leis mosaicas antes de poderem se tornar Cristãos(3).

– Chocado com a receptividade dos gálatas a essa heresia demoníaca, Paulo escreveu essa carta a fim de defender a justificação pela fé e advertir essas igrejas a respeito das terríveis conseqüências de abandonar a doutrina essencial(2).

– Em meio a sua argumentação para refutar a heresia da salvação por obras, Paulo trás a perfeita interpretação da Palavra de Deus dada a Abraão em Genesis 12:3, iluminando assim os gálatas e os advertindo que a salvação é somente pela fé, ocasionando a salvação de todos os povos. Quando Gálatas 3:8  se refere  “…prenunciou o evangelho a Abraão: Em ti serão abençoados todos os povos da terra”, o autor tem em mente que  Abraão sendo o primeiro a depositar fé nessa promessa, ele se torna tanto o patriarca daqueles que haveriam de crer, quanto o patriarca genético de Cristo. Ou seja o que Paulo esta afirmando é que qualquer gentio de qualquer período do tempo, pode ser salvo porque tal salvação é obtida mediante a fé em Cristo que foi da linhagem direta de Abraão, o pai da fé (4,6,7).

– A Palavra abençoados ( eveylogeo) é um verbo indicativo( ele indica uma certeza) na voz passiva ( sofre ação). Gramaticalmente podemos afirmar então que todos os povos da terra de fato serão o alvo da benção de Deus depositada em Abraão. Por isso o verbo esta no tempo futuro, pois Paulo esta usando a passagem do Antigo Testamento para confirmar que a benção da justificação pela fé seria pregada as nações após Deus ter abençoado a Abraão (5).

– Podemos testemunhar que de fato as nações da terra estão sendo salvas pela justificação pela fé. Muitos missionário tem testemunhado suas experiências de campo de como Deus tem salvado uma determinada cultura somente pela pregação do evangelho. Um grande exemplo disso é a tribo Mouk de Papua Nova Guiné, relatado no filme EE-Taow (10).

– Existe hoje muitas lugares para serem alcançados. Muitas culturas ainda necessitam ouvir do evangelho e ser justificadas mediante a fé. Isso só será realizado sob uma grande força tarefa da igreja. Os justificados, aqueles que já fazem parte da benção depositada em Abraão, precisam levar o evangelho a outros para que a promessa seja plena. E para isso acontecer, Deus terá que intervir na historia, tirar sua igreja da uma zona de conforto e leva-la até os confins da terra (Atos1:8). (11- Aplicação do texto)

Nessa pequena avaliação do texto de Gálatas 3:8, usei 8 princípios da hermenêutica e utilizei o O.I.A para entender o significado do texto.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s